ULTIMAS NOTÍCIAS
Cerca de 400 mil consumidores de Campina e outras cidades ficaram sem energia Setenta e três cidades da região central da Paraíba, incluindo Campina Grande, ficaram sem energia elétrica por quase toda a manhã de ontem, devido a uma pane, motivada, possivelmente, por problemas de manutenção, na Subestação II da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) na Rainha da Borborema. Com a pane 186 mil consumidores de 66 cidades da área de concessão da Energisa Paraíba; e 227 mil consumidores de 7 cidades da área da Energisa Borborema enfrentaram sérios problemas na manhã de ontem. A falta de energia começou antes das 5h da manhã e se estendeu até perto do meio-dia de ontem. Por volta das 11h, segundo o engenheiro eletricista Bruno Claudio Duarte, da Energisa Borborema, equipes desta empresa e da Chesf ainda estavam empenhadas na identificação das causas do apagão que deixou parte da Paraíba sem energia. Em Campina Grande semáforos não funcionaram logo cedo da manhã; nos bancos não houve condições de acesso aos terminais de autoatendimento; mercadinhos e supermercados que não possuem geradores não puderam atender à clientela, postos de combustíveis também não funcionaram por falta de energia nas bombas e as emissoras de rádio passaram a manhã fora do ar. O engenheiro Bruno Cláudio Duarte, esclareceu que, as pessoas ou empresas que tiveram equipamentos danificados por causa da oscilação de corrente poderão ser ressarcidas pela concessionária de eletricidade. Segundo ele, esse ressarcimento ocorrerá depois de uma perícia feita pela equipe da empresa. O fornecimento de energia em Campina Grande e mais 72 cidades paraibanas estava totalmente restabelecido por volta do meio-dia desta segunda-feira (14), segundo a assessoria da Energisa Borborema, uma das concessionárias de energia da Paraíba. O problema afetou cerca de 410 mil unidades consumidoras de energia em 73 cidades, ainda de acordo com a Energisa. Cada unidade consumidora é representada por um imóvel com medidor de energia, seja comercial, seja residencial. De acordo com a direção da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), houve um curto-circuito na Subestação Campina Grande 2, controlada pelo órgão, e a alimentação de energia na área foi perdida a partir das 5h30 (horário local). A Chesf repassa a energia para a Energisa, que distribui nas unidades consumidoras. Segundo a empresa, o ponto de conexão com a Energisa foi normalizado às 8h10 (horário local), quando a energia começou a ser restabelecida em alguns bairros e às 11h (horário local) cerca de 90% dos locais afetados já tinham energia novamente, com o fornecimento oscilando. Por conta da falta de energia, o Hospital Universitário Alcídes Carneiro (HUAC) em Campina Grande teve que suspender dez cirurgias de média e alta complexidade e cancelar mais de 200 exames de ultrasom, ecocardiograma, raio-x e eletrocardiograma que estavam programados para esta segunda-feira
terça-feira, 15 de novembro de 2016 Posted by Silvano Silva ✔

Cerca de 400 mil consumidores de Campina e outras cidades  ficaram sem energia

 Setenta e três cidades da região central da Paraíba, incluindo Campina Grande, ficaram sem energia elétrica por quase toda a manhã de ontem, devido a uma pane, motivada, possivelmente, por problemas de manutenção, na Subestação II da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) na Rainha da Borborema.

Com a pane 186 mil consumidores de 66 cidades da área de concessão da Energisa Paraíba; e 227 mil consumidores de 7 cidades da área da Energisa Borborema enfrentaram sérios problemas na manhã de ontem. A falta de energia começou antes das 5h da manhã e se estendeu até perto do meio-dia de ontem. Por volta das 11h, segundo o engenheiro eletricista Bruno Claudio Duarte, da Energisa Borborema, equipes desta empresa e da Chesf ainda estavam empenhadas na identificação das causas do apagão que deixou parte da Paraíba sem energia.

Em Campina Grande semáforos não funcionaram logo cedo da manhã; nos bancos não houve condições de acesso aos terminais de autoatendimento; mercadinhos e supermercados que não possuem geradores não puderam atender à clientela, postos de combustíveis também não funcionaram por falta de energia nas bombas e as emissoras de rádio passaram a manhã fora do ar.

O engenheiro Bruno Cláudio Duarte, esclareceu que, as pessoas ou empresas que tiveram equipamentos danificados por causa da oscilação de corrente poderão ser ressarcidas pela concessionária de eletricidade. Segundo ele, esse ressarcimento ocorrerá depois de uma perícia feita pela equipe da empresa.


O fornecimento de energia em Campina Grande e mais 72 cidades paraibanas estava totalmente restabelecido por volta do meio-dia desta segunda-feira (14), segundo a assessoria da Energisa Borborema, uma das concessionárias de energia da Paraíba. O problema afetou cerca de 410 mil unidades consumidoras de energia em 73 cidades, ainda de acordo com a Energisa. Cada unidade consumidora é representada por um imóvel com medidor de energia, seja comercial, seja residencial.

De acordo com a direção da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), houve um curto-circuito na Subestação Campina Grande 2, controlada pelo órgão, e a alimentação de energia na área foi perdida a partir das 5h30 (horário local). A Chesf repassa a energia para a Energisa, que distribui nas unidades consumidoras. Segundo a empresa, o ponto de conexão com a Energisa foi normalizado às 8h10 (horário local), quando a energia começou a ser restabelecida em alguns bairros e às 11h (horário local) cerca de 90% dos locais afetados já tinham energia novamente, com o fornecimento oscilando.

Por conta da falta de energia, o Hospital Universitário Alcídes Carneiro (HUAC) em Campina Grande teve que suspender dez cirurgias de média e alta complexidade e cancelar mais de 200 exames de ultrasom, ecocardiograma, raio-x e eletrocardiograma que estavam programados para esta segunda-feira.

Pbagora

Silvano Silva ✔

Obrigado pela visita!

Nenhum comentário:

Comente esta notícia!