ULTIMAS NOTÍCIAS
By Silvano Silva ✔ | sexta-feira, 9 de dezembro de 2016 | Posted in | With 0 comments

A cidade de Sapé vem conquistando gradativamente a partir do apoio institucional da administração municipal, espaço no mundo dos esportes amadores, inclusive com o reconhecimento a ponto de ter sido escolhida como uma das cidades onde a população recepcionou a Tocha Olimpíada dos Jogos Olímpicos do Rio, neste ano.
Agora é a vez da paratleta sapeense Maria Eduarda Santos da Silva que na última Paralimpíada Escolar ganhou três medalhas de ouro. Concorrendo com paratletas de todo o país, ela disputou e ganhou medalhas de ouro nas modalidades de 100 e 400 metros e, também, na modalidade corrida e salto em distância.
Os Jogos acontecerem na cidade de São Paulo. A atleta vem recebendo total apoio da prefeitura, tanto para participar de treinamentos como também para competições.

SECOM
By Silvano Silva ✔ | | Posted in | With 0 comments
O 1º repasse do mês de dezembro do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) será depositado nas contas dos Municípios nesta sexta-feira, 9. O valor será de R$ 2.544.782.636,09, com o desconto do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Em valores brutos, somando o desconto do Fundo, o montante será de R$ 3.180.978.295,11. Os municípios da Paraíba recebem R$ 102.767.859,07.

Segundo a nota elaborada pela área de Estudos Técnicos da Confederação Nacional de Municípios (CNM), em comparação com o primeiro decêndio do mesmo mês do ano anterior, 2015, o presente decêndio teve um crescimento de 21,58% em termos nominais, sem considerar os efeitos da inflação. Quando se considera o valor real dos repasses e as consequências da inflação, o decêndio apresenta um crescimento expressivo de 14,94%.

Ainda de acordo com a nota, se somado o primeiro decêndio com o recurso do 1% de dezembro, o montante é de R$ 6,953 bilhões, enquanto que no mesmo período do ano anterior o acumulado ficou em R$ 5,036 bilhões.

Acumulado

No acumulado de 2016, o FPM soma nominalmente R$ 87,311 bilhões, frente aos R$ 79,529 bilhões no mesmo período do ano anterior. Em termos nominais, o somatório dos repasses cresceu 9,79%, o que caracteriza um crescimento nos valores efetivamente repassados.

É importante frisar que no montante acumulado do ano estão incluídos os valores do 0,5% de 2015 e o 0,75% de 2016, decorrente das Emendas Constitucionais 55/2007 e 84/2014, conquistas da CNM.

Efeitos da inflação

Considerando os efeitos danosos da inflação, o Fundo acumulado em 2016 tem um modesto crescimento de 0,71% maior do que o mesmo período do ano anterior, destaca a área de Estudos Técnicos.

A CNM enfatiza que o reforço da repatriação contribuiu para o fortalecimento do FPM ao longo do ano de 2016, uma vez que o momento é delicado e os gestores municipais de todo o país enfrentam inúmeras dificuldades para fechar as contas corretamente. Com a desaceleração da economia, o corte de gastos teve impacto direto nas atividades locais.

Diante desse momento de dificuldades, e sendo final de mandato, a CNM ressalva que é preciso um planejamento e reestruturação dos compromissos financeiros das prefeituras, para que seja possível o fechamento das contas sem que haja ônus para os gestores municipais.





 CNM
By Silvano Silva ✔ | | Posted in | With 0 comments

A Record TV abrirá mão de levar ao ar a nona temporada de ‘A Fazenda’ pelo menos no primeiro semestre de 2017 como vinha sendo cogitado. A atual situação econômica do  Brasil afeta a realização do reality show no período.
De acordo com informações do jornalista Flávio Ricco, ainda que nada esteja de forma oficial, a Record TV descarta ‘A Fazenda’ em vista a uma análise de custos. Houve a conclusão que será quase impossível buscar no mercado, nos primeiros meses de 2017, o dinheiro necessário para a sua produção.
Em julho ou agosto, dependendo de como estará a economia do país, o assunto poderá entrar novamente em questão. A última temporada de ‘A Fazenda’ foi realizada em 2015. Este ano, a atração ficou de fora por falta de espaço na grade de programação. A ideia da emissora era descansar e repensar a fórmula do programa.
Por outro lado, cresceram as chances de se produzir uma nova edição do “Power Couple”, logo no começo do ano, para preencher as lacunas que passarão a existir na faixa da linha de shows.
Ainda assim, também em relação a ele, só existirá uma decisão definitiva após a conclusão e aprovação do seu orçamento.
Portal Online 1 
By Silvano Silva ✔ | | Posted in | With 0 comments

O documento desta vez é assinado por movimentos sociais como MST, CUT, UNE e MTST, partidos de oposição, como PT, PCdoB, PDT e Psol, além de juristas

Créditos: Reprodução / WEB
Um segundo pedido de impeachment contra Michel Temer foi protocolado na manhã desta quinta-feira 8 na Câmara dos Deputados.
O documento desta vez é assinado por movimentos sociais como MST, CUT, UNE e MTST, partidos de oposição, como PT, PCdoB, PDT e Psol, além de juristas.
O argumento reforça o utilizado no primeiro pedido de impeachment, que foi apresentado pelo Psol. Os partidos, os movimentos e os juristas acusam Michel Temer de ter cometido crime de responsabilidade no escândalo que culminou na demissão de Geddel Vieira Lima da Secretaria de Governo.
"O governo golpista é um pântano de corrupção e incompetência, consumido por escândalos e pela incapacidade de dar respostas ao país. O 'caso Geddel' foi a gota d'água: um presidente que atua como despachante de construtora para favorecer interesses privados de um ministro!", comentou o senador Lindbergh Farias (PT-RJ).
wscom.com
By Silvano Silva ✔ | quarta-feira, 7 de dezembro de 2016 | Posted in | With 0 comments

A estudante Anny Lettícia, 14 anos foi encontrada morta na noite terça-feira (6), na cidade de Nova Olinda, Sertão do estado.
A menina teria sido atingida por tiro na cabeça dentro da residência da família, que fica no centro da cidade.
Segundo a Polícia Militar do 13º Batalhão, com sede em Itaporanga, duas cápsulas foram deflagradas da arma usada.
O Samu foi acionado e ainda encontrou a menina com vida, mas não resistiu e foi a óbito. A PM isolou a área e acionou a perícia para encaminhar o corpo ao IML de Patos.
A polícia trabalha com a hipótese de suicídio. No último domingo (4), Anny compartilhou em sua página da rede social.
Facebook, um bilhete escrito a mão dizendo “Senhor Noel, eu nunca te pedi nada de Natal, mas neste natal, por favor me mata, obrigado”.
Veja postagem:
anny_postagem
Na mesma rede social, a menina recebeu dezenas de mensagens, a maioria delas sem entender, pois Anny, segundo os testemunhais no Facebook era uma garota cheia de vida e feliz.
Depoimento de colega!
anny2

Diário do Sertão 

By Silvano Silva ✔ | | Posted in | With 0 comments

Moradores acumulam lixo na porta da prefeitura de Lagoa de Roça
A fachada da prefeitura do município de São Sebastião de Lagoa de Roça, localizada no Agreste da Paraíba, se transformou, nos últimos dias, em um verdadeiro depósito de lixo.

Moradores, revoltados com o descaso da gestão, começaram a acumular resíduos na porta do executivo como forma de protesto contra o desastre que se tornou o encerramento do governo da prefeita Socorro Cardoso, do PMDB, que foi derrotada nas eleições 2016. A ausência da coleta de lixo é um dos problemas

Segundo os populares, os salários dos servidores estão atrasados e até o fornecimento de energia da sede do governo já foi suspenso.

O prefeito eleito, Severo, do PSDB, deve encontrar, a partir do dia 1º de janeiro, um cenário de caos no município.

Fotos divulgadas nas redes sociais mostram o “clima” no município. A prefeita não foi encontrada para falar sobre o caso.






PB Agora
By Silvano Silva ✔ | domingo, 4 de dezembro de 2016 | Posted in | With 0 comments
Diversos movimentos estão convocando a população para protestar neste domingo (4) contra o pacote de medidas anticorrupção aprovado pela Câmara e em favor da Operação Lava Jato. A pauta é diversa. Passa pela defesa do fim do foro privilegiado, do pedido de celeridade na aprovação das propostas de reforma econômica do governo e no julgamento de processos contra políticos. Mas há também movimentos que defendem a convocação de eleições diretas e outros sairão às ruas para clamar por intervenção militar.Ato contra medidas anticorrupção


Entre os principais grupos de mobilização estão o Movimento Brasil Livre (MBL), o Vem Pra Rua e os Movimentos Civis pelo Brasil. Todos criticam as alterações aprovadas pela Câmara no projeto de lei (PL 4850/2016) que amenizaram o rigor das propostas enviadas ao Congresso pelo Ministério Público Federal (MPF) com o aval de 2,4 milhões de assinaturas.

De acordo com organizadores, mais de 200 cidades em todo o Brasil devem se manifestar contra a corrupção amanhã (domingo, 4). Em Brasília, a concentração está marcada para as 10h, em frente ao Congresso Nacional.

Renan e Rodrigo Maia entre os principais alvos

Nas convocações divulgadas pelo Facebook, os movimentos afirmam que o Legislativo transformou “as dez medidas contra a corrupção em dez medidas a favor da impunidade”. Os grupos também pedem a saída do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que se tornou réu em um dos 12 inquéritos que responde no Supremo Tribunal Federal (STF), na tarde da última quinta-feira (1º), por peculato. A maioria dos ministros acolheu a denúncia feita pelo MP contra o peemedebista, acusado de utilizar notas falsas para desviar parte da verba indenizatória do seu gabinete no Senado.

No Rio de Janeiro, manifestantes estão acampados em frente à casa do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), irritados com o apoio dele à tentativa de garantir a anistia do caixa dois de eleições passadas e a sua cumplicidade com a destruição do pacote anticorrupção proposto pelo Ministério Público e respaldado por mais de 2 milhões de assinaturas.

O MBL tem enfatizado a necessidade do fim do foro privilegiado. Já o Vem Pra Rua destaca que irão “protestar contra as formas corruptas de se fazer política” que os parlamentares “insistem em fazer”. Em nota assinada por 22 movimentos civis, os organizadores também alertam para a “leniência do STF em tratar dos casos contra parlamentares [...] uma vez que, raramente se coloca alguém como réu”.

“Apoiamos todas as reformas econômicas e exigimos que o Congresso as aprove o mais rapidamente possível para que a sociedade volte a ter confiança e os investimentos privados voltem a ocorrer, reaquecendo a economia, recuperando empregos e a vida da nação. Que se ponha em prática o progresso, outra palavra do lema do atual governo, também dístico presente em nossa bandeira nacional”, destacam.

Defesa de Temer

Apesar de vários grupos que apoiaram o impeachment de Dilma Rousseff estarem descontentes com o governo Michel Temer, o presidente deverá ser poupado de manifestações contrárias neste domingo. “De modo algum apoiamos a destituição do atual presidente, pois a estabilidade do país é absolutamente necessária, até que se encontre o caminho da reestruturação federativa e das instituições, as quais, sabidamente estão esgotadas”, acrescenta a mesma nota.

Jorge Maranhão, da Voz do Cidadão, uma das entidades signatárias da nota, afirma que os protestos são uma reação contra “a atitude dos políticos com a sociedade”. Em relação a Temer, diz ele, prevalece o pensamo expresso recentemente pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Não é lá grande coisa, mas é a “pinguela” disponível para a nação fazer a travessia de um momento particularmente delicado de sua história, seja na política, seja na economia, seja na administração do Estado.

“Não há unidade de pensamento nesses movimentos”, afirma Jorge Maranhão. “Se tivesse unidade, eu desconfiaria. O que tem é a mais completa diversidade. Só não tem esquerda tipo PT, CUT etc. Acho que vai para a rua muita gente frustrada com a socialdemocracia, com os privilégios que ela permitiu que se disseminassem. No Rio, de 861 magistrados, só um recebe abaixo do teto constitucional. Os juízes e membros do Ministério Público recebem auxílio-moradia por causa de uma liminar do ministro Fux, algo absolutamente descabido. Agora, é a sociedade reagindo contra todo esse custo do Estado, contra a classe política e também contra o Poder Executivo, que no nível federal e estadual se tornou um antro de imoralidade”.

Com Congresso em Foco
By Silvano Silva ✔ | | Posted in | With 0 comments

Goleiro mostra força após amputação: "prefiro a vida"
 Os médicos colombianos e da Chapecoense, que acompanham a evolução dos sobreviventes da tragédia que envolveu a delegação da equipe catarinense, voltaram a falar na tarde deste sábado sobre o estado de saúde dos jogadores sobreviventes ao acidente. A atualização do boletim, que foi feito em entrevista coletiva, teve como destaque principalmente uma declaração do goleiro Jackson Follmann.

Extubado há mais de 24 horas, o goleiro já conversa com os médicos e familiares e demonstra uma boa condição psicológica em relação à sua situação. De acordo com o relato dos doutores, Jackson Follmann está ciente da amputação e declarou: "Prefiro a vida do que a perna. Vamos tirar isso de letra".

Os outros sobreviventes também estão demonstrando melhoras. O lateral esquerdo Alan Ruschel, que iniciou a semana correndo o risco até de ficar tetraplégico, também foi extubado na última sexta-feira e não apresenta lesão medular. O jogador inclusive está conseguindo movimentar os quatro membros e já conversa normalmente com a família.

Já a situação do zagueiro Neto inspira mais cuidados. Último sobrevivente a ser resgatado no local do acidente, o jogador continua sedado e tem uma contusão pulmonar, inspirando maior atenção da equipe médica.

Outro que apresenta evolução é Rafael Henzel. Ainda intubado e respirando com ajuda de ventilação mecânica, o jornalista teve melhora nos sinais de infecção.

A entrevista coletiva foi concedida por três dos principais médicos que acompanham a recuperação dos atletas: Marcos André Sonagli, ortopedista da Chapecoense, Edson Stakonski, intensivista de Chapecó, e Ferney Tobón, diretor clínico do hospital San Vicente Fundación.

Com portal Terra
By Silvano Silva ✔ | | Posted in | With 0 comments

Enem: estudantes fazem hoje provas de matemática, linguagens e redação
 Candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) fazem hoje (4) as provas de redação, linguagens, códigos e suas tecnologias e matemática e suas tecnologias. Os participantes terão cinco horas e 30 minutos para responder às questões. Os portões abrem às 12h e fecham às 13h, no horário de Brasília. As provas começam a ser aplicadas às 13h30.


São 277.624 candidatos inscritos para a segunda aplicação do Enem. A maior parte desses alunos teve as provas adiadas por causa das ocupações em escolas e universidades públicas do país no mês de novembro.


As provas são diferentes daquelas aplicadas dias 5 e 6 de novembro, mas mantêm o mesmo nível de dificuldade, o que, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), garantirá a isonomia entre os candidatos.


Na primeira aplicação, o tema da redação foi "Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”.


O candidato deve levar um documento original com foto e caneta esferográfica de tinta preta fabricada em material transparente. É proibida a utilização de qualquer equipamento eletrônico. Celulares devem ser desligados e colocados dentro de embalagem porta-objetos fornecida pelo aplicador.


As provas são aplicadas em 165 municípios e 418 locais de prova. Não há exame apenas nos estados de Roraima, Acre, Amazonas Amapá.


Segunda aplicação


O Enem foi aplicado no início de novembro para 5,8 milhões de candidatos. Um grupo, no entanto, teve o exame adiado. Isso custou aos cofres públicos um adicional de R$ 10,5 milhões.


Conforme o Inep, dos inscritos para a segunda aplicação, 273.521 (98,52%) não puderam participar do Enem regular por causa das ocupações em escolas, universidades e institutos federais, enquanto 4.103 candidatos (1,47%) foram afetados por contingências como a interrupção do fornecimento de energia elétrica.


Gabarito e resultado


Minas Gerais tem o maior número de inscritos para a segunda aplicação: 72.302 pessoas. Outras unidades federativas que se destacam são o Paraná (43.617), Bahia (37.927), Espírito Santo (23.486), Pernambuco (17.155) e Rio de Janeiro (16.451).


Os gabaritos das provas serão divulgados na quarta-feira (7) na Página do Participante e por meio do aplicativo Enem 2016. Os resultados estarão disponíveis para todos os candidatos no dia 19 de janeiro.


Foto: Rovena Rosa 
Agência Brasil
By Silvano Silva ✔ | | Posted in | With 0 comments

Um caminhão com 15 homens submetidos a trabalho escravo foi abordado pela Polícia Militar do DF às 8h desta quinta-feira (1º), na BR-080, próximo à entrada de Brazlândia. As pessoas, com idades entre 20 e 50 anos, são oriundas de cidades na Paraíba e no Ceará e circulavam o Brasil na caçamba do veículo para vender panelas. Conforme a corporação, a vítima mais antiga estava há seis anos sofrendo os abusos.
O operador do esquema era também o motorista do caminhão apreendido, um empresário cearense sem passagens pela polícia. “Ele ficava com os funcionários por uma média de quatro meses fazendo vendas. Eles ó comem o tanto que conseguirem vender e não conseguem voltar para os estados pois criaram dívidas com o patrão”, explicou o tenente Lélis, que participou da abordagem na BR-080.
O militar informou que o caminhão foi selecionado ao acaso, pois não apresentava nenhuma irregularidade aparente, e se surpreendeu com o achado. “Não é comum para nós esse tipo de situação”, resumiu. Segundo ele, nenhum dos homens nasceu ou sequer já morou no DF.
O motorista foi encaminhado para a Superintendência da Polícia Federal, pois o crime de submeter trabalhadores a condições análogas ao de um escravo extrapola as esferas estadual e distrital.

Brasilia É Aqui 
By Silvano Silva ✔ | | Posted in | With 0 comments

A cidade de Brasília registra um dos maiores índices de desigualdade econômica e social do Brasil. É o que mostra o Mapa das Desigualdades, divulgado neste sábado (3) pelo Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), pelo Movimento Nossa Brasília e pela ONG Oxfam Brasil. A partir de um medidor inédito, chamado “desigualtômetro”, termo criado pela Rede Social Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis, o mapa mostra diferenças significativas no acesso a determinados bens e serviços entre os moradores da região central e das áreas periféricas no Distrito Federal.
Na área da saúde, por exemplo, o mapa aponta que o “desigualtômetro” do Plano Piloto, região central de Brasília, chega a ser 19 vezes superior à região da Estrutural, favela periférica situada a aproximadamente 20 quilômetros do centro da cidade.
No Plano Piloto, onde 60% dos moradores trabalham no serviço público, 52% das pessoas utilizam os postos de saúde em sua própria vizinhança. Na Estrutural, esse percentual chega a 92%, mostrando as dificuldades de locomoção dos moradores. No quesito plano de saúde, a proporção é ainda mais desigual. No Plano Piloto, 84,4% da população possui plano de saúde, enquanto que na Estrutural essa taxa não passa de 5,6%
A base de dados utilizada pela pesquisa da desigualdade é a mesma do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da Pesquisa Distrital por Amostras de Domicílios (PDAD). A diferença é que, dessa vez, os dados de diferentes áreas foram condensados em um gráfico topográfico que mostra visualmente as diferenças entre as regiões.
“Esses dados já estavam disponíveis, agora foram agregados e colocados em mapas. Com as topografias, podemos dar maior visibilidade às diferenças”, comentou Cléo Manhas, assessora política do Inesc e integrante do Movimento Nossa Brasília.
Outras áreas
A mesma comparação apresentada na saúde foi feita nas áreas da cultura, educação,  segurança pública, mobilidade urbana, saneamento básico e trabalho e renda,. Em todas elas, a proporção de desigualdade se mantém, mas o indicador de renda é o que apresenta maior disparidade. A renda per capita no Plano Piloto é de R$ 5.569,46, enquanto que na Estrutural é de R$ 521,80, ou seja, dez vezes menor.
O indicador de renda, também revela a desigualdade racial. “Segundo o estudo, quanto maior a renda, menos negra a população. Quanto menor a renda, mais negra é a população”, revelou Cléo Manhas.
O estudo revela ainda que o índice de Gini (que mede o nível de desigualdade) do Plano Piloto é 0,428, um dos mais altos do país. O índice varia de 0 a 1 e quanto mais próximo de 1, mais desigual. No Plano Piloto, todos os domicílios tem energia, abastecimento de água e esgotamento sanitário e apenas 3% dos domicílios estão em terreno irregular, taxa que sobe para 82% na Estrutural, onde também falta energia, saneamento e abastecimento regular de água.
Uma iniciativa semelhante ao Mapa das Desigualdades já é feita na cidade de São Paulo há dois anos. “É a primeira vez que esse mapa é feito para o Distrito Federal. Nós já sabemos que este é um dos territórios mais desiguais do Brasil. O que fizemos foi reforçar a premissa e perceber que a desigualdade é maior do que a gente imaginava. As nossas periferias são muito mais parecidas do que a gente imagina, tem a mesma falta de infraestrutura e de equipamentos sociais e também são muito mais distantes do centro da cidade do que a gente imagina”, afirmou Cléo Manhas.
Os dados foram apresentados para representantes de organizações civis das comunidades analisadas na pesquisa e serão disponibilizados na plataforma Cidades Sustentáveis. O objetivo é aguçar a percepção dos próprios moradores sobre os indicadores e levantar sugestões de políticas públicas que podem melhorar a infraestrutura das comunidades. “Nós queremos deixar essa realidade mais visível em gráficos e mapas, para que a população desses locais tenham um documento para demandar recursos para os locais onde vivem”, explicou a assessora política do Inesc.
Agência Brasil 

By Silvano Silva ✔ | | Posted in | With 0 comments

Janis McDavid, 25, nasceu sem braços e pernas. Mas mesmo assim cursa a universidade, dirige um carro e viaja pelo mundo. Hoje ele está dando início à sua carreira. Como ele faz isso?
Ele não gosta de receber seus convidados em pé. Ele nunca está mais alto que seus umbigos e essa não é uma sensação agradável.
Mas desta vez McDavid não teve escolha. Não há elevador no apartamento onde ele fica quando está em Berlim, e seus amigos não podem carregar sua cadeira de rodas elétrica de 120 kg pelas escadas. Assim, McDavid estava no velho piso rangente de madeira no corredor do apartamento. Ele olha para cima, estende o coto de seu braço direito em saudação e sorri: "Oi, sou Janis".
O jovem sabe que incomoda muitas pessoas quando o veem pela primeira vez. Afinal, ele não tem braços e nem pernas, de modo que muitas pessoas consideram isso desconcertante. "Tenho que ajudá-las a relaxar", ele diz. Em situações como essa, ele faz um esforço adicional para passar uma sensação de normalidade e autoconfiança.
Às vezes as pessoas até mesmo lhe perguntam se ele pode segurar seus casacos por um segundo. "Essa é a melhor coisa que pode acontecer comigo", diz McDavid, porque aí ele sabe que conseguiu de novo impedir que sua deficiência assuma o papel principal em sua vida.

McDavid se arrasta até a mesa de jantar, dobra seu torso sobre uma cadeira e sobe com um impulso. Agora ele finalmente está à altura dos olhos.
"Quando era menino, sempre quis ser um policial de motocicleta", ele diz, mas então viu a si mesmo em um espelho de corpo inteiro certa manhã e seu sonho acabou. Um policial sem braços e pernas? McDavid tinha oito anos quando de repente entendeu sua deficiência. "Foi um choque", ele diz.


Na adolescência, ele tinha vergonha da forma como subia as escadas pulando e evitava sair em público sem uma cadeira de rodas. Mas então ele percebeu que seu embaraço era uma limitação adicional, assim como o mau humor. "Eu poderia me incomodar com muitas coisas", diz McDavid, "mas não me faria nenhum bem".


Ele geralmente consegue manter a calma quando, por exemplo, um grupo de pedestres passa correndo por ele para tomar o elevador na estação de trem, fazendo com que ele perca de novo sua conexão. Quando ele fica furioso, ele o faz em casa, onde ninguém pode vê-lo.


McDavid tem um apartamento adaptado para deficientes na cidade alemã de Bochum, no oeste. Em Berlim, onde ele gosta de passar grande parte de seu tempo, ele fica com amigos em um prédio de apartamentos de antes da guerra. Seus amigos sempre deixam as portas no apartamento ligeiramente entreabertas, porque McDavid tem dificuldade em alcançar a maçaneta.


Uma dúzia de pares de sapatos de amigos se encontram sobre a velha salamandra na sala de estar. "Fico feliz por não precisar de sapatos", diz McDavid rindo, "eu teria milhares de pares". O humor o ajuda a levar o dia. "Posso rir de mim mesmo", diz McDavid, "e essa é uma das minhas habilidades mais importantes". Mas mesmo assim a vida cotidiana permanece difícil.


Reprodução/Facebook
McDavid não pode simplesmente sair para qualquer lugar. Se deseja cruzar Berlim de ônibus ou trem, ele primeiro seleciona várias rotas alternativas, para o caso de um elevador não estar funcionando em uma das estações onde precisa trocar de trem. Se deseja comer fora, ele telefona de antemão para saber se o restaurante não possui obstáculos.


"Às vezes gostaria que as coisas fossem mais simples", ele diz, que ele pudesse, por exemplo, embarcar facilmente em um bonde quando estivesse chovendo, sem que as rodas de sua cadeira escorregassem.


Algumas pessoas o encaram ou atravessam para o outro lado da rua quando o veem, mas ele aprendeu a não dar atenção a elas. "Se algo tem o potencial de prejudicar minha autoconfiança, apenas ignoro", ele diz.


É uma estratégia que ele teve que ensinar a si mesmo, assim como muitas outras: ele prende gentilmente a borda do copo de suco entre seus lábios, o ergue com a ajuda de seu braço direito curto e o equilibra ali enquanto bebe.


Ele come sem talheres, usando seus lábios. Ele escreve com sua boca, segurando a caneta entre seus molares, sempre no lado direito, porque não consegue escrever com seu lado esquerdo. Para vestir suas camisas, ele as levanta com uma vara, aproximadamente do mesmo comprimento que o braço que ele não tem. E então as desliza sobre sua cabeça.


Ele descobriu tudo isso por conta própria, já que não muito podia ser aprendido com outros. Nas festas de aniversário na infância, ele geralmente era tanto o herói com a cadeira de rodas bacana quanto o estranho que tinha que responder perguntas sobre seus membros ausentes.


McDavid tem quatro pais: dois em Hamburgo, que são seus pais biológicos, e dois em Bochum, onde ele cresceu. Talvez tenha sido a maior sorte de sua vida o fato de seus pais biológicos o terem colocado sob os cuidados de profissionais, porque não podiam se ver criando um filho sem braços e pernas. "Meus pais em Bochum me ajudaram enormemente ao não me ajudarem", diz McDavid. Não havia canudos em casa e, ao menos inicialmente, também não havia elevador.


Quando ele estava na quinta série e sua classe saiu para uma excursão para andar de trenó, é claro que McDavid foi junto. Ele foi preso a um trenó com um capacete na cabeça e um de seus colegas de classe conduziu o trenó. "Teria sido muito mais perigoso para mim ter ficado em casa", ele diz, porque teria sucumbido à solidão e preguiça, e não teria se tornado o combatente que é hoje.


McDavid pode dirigir usando uma van especialmente modificada, pode inspirar outros e é um ávido viajante. Ele já esteve no Brasil, Vietnã e Mianmar, e visitou Cuba com amigos em suas últimas férias. Ele está determinado a descobrir um novo país a cada ano. "Não me permito ficar parado", ele diz.
Reprodução/Facebook


Há, entretanto, coisas que ele simplesmente não pode fazer: abrir uma porta, por exemplo, ou pegar algo na prateleira do supermercado. Ele não pode tomar uma ducha sozinho. E não pode passar despercebido nas ruas.


Apesar de se recusar a ser fraco, ele com frequência precisa pedir ajuda, algo que às vezes o incomoda um bocado. Há dias em que McDavid não sai para fazer compras por não ter a energia para pedir com humor e confiança que a mulher no caixa pegue o dinheiro na carteira dele.


E há dias em que as pessoas o ajudam sem lhe perguntar se ele precisa ou deseja. Nos restaurantes, elas espetam a batata no garfo e tentam alimentá-lo. Isso o irrita ainda mais.


McDavid está estudando economia na Universidade Witten/Herdecke, na região do Ruhr, no oeste da Alemanha. Ele também faz palestras motivacionais por toda a Alemanha e está prestes a iniciar uma turnê promocional para seu novo livro. Ele gostaria de demonstrar que todos podem fazer algo de suas vidas, e que as pessoas com deficiências com frequência podem se superar se ninguém as atrapalhar.


"Sou muito afortunado porque gosto do que faço e porque posso fazer uma diferença", ele diz. Apesar do sucesso pessoal, isso não se traduz em sucesso financeiro. Apesar de McDavid trabalhar, ele precisa fazer sua contribuição mensal ao escritório de bem-estar social para compensar o Estado pela ajuda que recebe, além de arcar com parte dos custos por sua cadeira de rodas e carro especialmente modificado.


Mas o governo alemão está planejando introduzir uma nova lei que melhorará a situação para pessoas com deficiências e, a partir de 2017, permitirá a elas economizarem mais do que o teto atual de 2.600 euros (cerca de R$ 9.600) antes de precisarem contribuir. Todavia, se ainda precisarem de apoio, suas contas de poupança terão um teto de 27.600 euros, o que dificultaria a realização de sonhos maiores. Se uma pessoa inválida ou deficiente tem mais que isso em sua conta de poupança, o Estado não fornecerá assistência.


McDavid é gay, e caso decida algum dia viver com alguém, a renda e ativos de seu parceiro também seriam levados em consideração pelo Estado. A expectativa é de que isso não mudará antes do ano 2020, e mesmo lá, a mudança afetaria apenas um pequeno número de pessoas deficientes.


"Sou deliberadamente mantido pobre e solteiro", diz McDavid. Mas ele não soa amargo, pois isso não lhe ajudaria. Mas às vezes ele gostaria de poder bater com o punho na mesa.

Tradutor: George El Khouri Andolfato
Uol