ULTIMAS NOTÍCIAS
A lenda do Rei do Baião
domingo, 4 de maio de 2014 Posted by Silvano Silva ✔

Musical 'Gonzagão, a Lenda' estreia em sessão única neste domingo (04) em CG; apresentação gratuita acontece no Parque do Povo.


Fotos: Divulgação
Na montagem, 40 canções dão o suporte dramatúrgico para a história do jovem que virou um dos maiores artistas do Brasil
Há 4 anos não chovia em Exu, a pequena cidade do interior de Pernambuco em que nasceu Luiz Gonzaga (1912-1989). O milagre aconteceu em dezembro, bem no meio da apresentação do espetáculo Gonzagão, a Lenda. "Foi uma festa", lembra João Falcão, diretor do musical. "Muitas pessoas que nunca viram uma peça de teatro estavam na plateia."
É exatamente este tipo de público que Falcão pretende ver na plateia na estreia da peça em Campina Grande. Gonzagão terá única sessão gratuita hoje, às 19h, em pleno Parque do Povo.
O templo do forró, palco do Maior São João do Mundo, é a primeira das três cidades nordestinas a receber a nova turnê nordestina da produção, que já está em cartaz desde o centenário do Rei do Baião, em 2012, e acaba de voltar da Colômbia, onde teve a oportunidade de abrir a 14ª edição do Festival de Teatro de Bogotá, o maior evento do gênero na América Latina.
"A gente estreou em outubro de 2012 e já rodou bastante", conta Falcão, que também é pernambucano e projetou-se por seus trabalhos no teatro, televisão e cinema (entre suas adaptações mais conhecidas está O Auto da Compadecida, exibido pela Rede Globo em 1999 e transformado em filme no ano seguinte).
"O espetáculo é bem musical e narra a história de Gonzaga de maneira poética e nada realista", completa o diretor.
Na montagem, 40 canções como a célebre 'Asa Branca' dão o suporte dramatúrgico para a história do jovem que saiu do Nordeste aos 17 anos para se tornar um dos maiores artistas da música brasileira. O protagonista é interpretado pelo ator Marcelo Mimoso, que é filho de sanfoneiro, taxista e cantor de forró.
Segundo Falcão, apesar das habilidades musicais do ator, uma banda com quatro músicos (entre eles um acordeonista, Rafael Meninão) acompanham o elenco. "O Marcelo toca sanfona, mas a gente não utilizou isso no palco", explica o diretor. "O elenco é composto por nove atores e quatro músicos que se misturam."
A atriz Larissa Cruz (que começou como cantora, com passagem pelo grupo AraKetu) é a única mulher em cena. Ela interpreta figuras femininas importantes na trajetória de Gonzagão que foram rebatizadas no texto, a exemplo do primeiro amor, Nazarena (aqui chamada de Rosinha) e a mãe de Gonzaguinha, Odaléia (que ganhou o nome de Morena).
"A gente procurou contar desde o nascimento até a morte de Gonzaga de uma maneira que fosse poética, e não didática", justifica Falcão. "A gente fala do pai, da mãe e de Gonzaguinha, do primeiro contato dos dois até o reencontro, com o filho já adulto."
O encontro que mais foge do suposto didatismo da história de Luiz e que é encenado em grande estilo em Gonzagão é o do artista com o mítico Lampião. O episódio, que jamais aconteceu, foi motivado pela presença do cangaceiro na obra do vate.
"Faço teatro há uns trinta anos e na verdade eu comecei com a música. Da música foi que migrei para o teatro", lembra João Falcão, que dirigiu, entre outras peças, Cambaio (em 2001), espetáculo com músicas de Chico Buarque e direção musical de Lenine. "Minhas peças sempre têm algo de musical. A música sempre está presente."
Gonzagão, a Lenda tem uma galeria vasta de premiações: recebeu o Shell de melhor música em 2012 e venceu o Festival Internacional de Teatro de Angra (o Fita, no Rio de Janeiro), em três categorias no ano passado, entre elas júri popular e melhor direção.

Jornal da Paraiba

Silvano Silva ✔

Obrigado pela visita!

Nenhum comentário:

Comente esta notícia!