ULTIMAS NOTÍCIAS
Escritora paraibana de 87 anos lança livro nesta sexta-feira na Câmara Municipal de Sapé
sábado, 12 de dezembro de 2015 Posted by Silvano Silva ✔

Maria Lindalva Xavier AmaroUma história pontuada por luz. Do início dos escritos em prosa, quando integrava o Grêmio Literário Nossa Senhora da Luz, em Guarabira, passando pelo jornalzinho Arco-íris, até uma crise de cálculo renal que, após cessar, doou novas cores e olhares para o começo da inspiração poética. Por fim, a cadeira na Academia Paraibana de Poesia, de nº 38 e pertencente ao poeta Zé da Luz.
Assim se fez a carreira da escritora e poetisa Maria Lindalva Xavier Amaro, que vai lançar nesta sexta-feira (11) o quarto livro intitulado “Lindalva em prosa e versos”, da editora Ideia. O lançamento será na Câmara Municipal da cidade de Sapé, às 19h.
O livro foi prefaciado pelo jornalista e escritor – além de amigo – Octávio Caúmo Serrano, que também fará a apresentação da obra. A diferença deste para o último livro, lançado em 1991, é de 24 anos.
“Demorei a lançar esse livro porque fui escrevendo aos poucos. Em prosa, tenho textos de 1982. Então, fui guardando. Também costumo fazer textos em homenagem às mães e aos pais da igreja que frequento (Santo Antônio, no Bairro dos Estados) quando me pedem”, disse a poetisa.
Os discursos de quando assumiu a Academia Paraibana de Poesia e de quando foi agraciada com o título de cidadã sapeense também estão reunidos na obra. Ao abri-lo, um aviso: “No livro, você leitor, vai me conhecer. Conhecer meus escritos em prosa, as minhas alegrias, tristeza, saudades, lágrimas, encantos, dores e amores, tudo em poesia”.
Dentre as histórias contadas, está uma curiosa sobre um ex-namorado de uma amiga que enviou um verso a ela – a amiga só soube do ocorrido anos depois. Além disso, a parte final do livro é dedicada completamente ao marido da poetisa – o professor Manoel Amaro – que, este ano, completaria 100 anos.
O primeiro livro de Lindalva Xavier foi “Memórias de um anjo” (1986), que conta a história de uma filha que foi assassinada; o segundo foi o “Coisas da vida, um pouco de mim”, lançado em 1988, e o terceiro, lançado em 1991, é intitulado “Os meus versos”, só de poesia. Prosa e poesia
Atualmente com 87 anos, a escritora e poetisa natural de Guarabira também integra a Academia de Letras e Artes do Nordeste (Alane) e a Academia Feminina de Letras e Artes da Paraíba. “Eu gosto tanto da prosa quanto da poesia, mas agora estou me expressando mais pelo verso. Enquanto puder, se tiver inspiração e cabeça muito boa, vou continuar a escrever. Também gosto de declamar poesias longas e todos acham que tenho uma boa memória”, disse.
O interesse por prosa vem desde criança, mas só quando estava prestes a completar 60 anos, Lindalva começou a enveredar pelos caminhos da poesia. “Depois de uma crise de cálculo renal, passadas as dores, me levantei, fui até o terraço da minha casa e vi o céu, o jardim, as flores, os passarinhos e um pedacinho do mar. Peguei o lápis e escrevi minha primeira poesia. Daí então se abriu a minha inspiração, que continua até hoje”, contou.

Com Secom

Silvano Silva ✔

Obrigado pela visita!

Nenhum comentário:

Comente esta notícia!