ULTIMAS NOTÍCIAS
Secretaria de Saúde e Promotoria Pública debatem questões ligadas à saúde em Sapé
quarta-feira, 10 de maio de 2017 Posted by Silvano Silva ✔



Foi realizada na manhã desta segunda, (8), no Fórum Desembargador Joaquim Sérgio Madruga, reunião convocada pela Promotora de Sapé, Dra. Juliana Couto, para debater junto aos profissionais da saúde do município, questões relacionadas a constante demanda proveniente dos serviços públicos ligados à área e possíveis melhorias para serem adotadas no atendimento à população.

Estiveram presentes na reunião a Secretária de Saúde do Município, Maria das Graças Feliciano, o Diretor Do Hospital Sá de Andrade, Eduardo Costa, a farmacêutica do município, Dra. Estrela, os gestores da rede de saúde mental, a equipe de atenção básica do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), além dos médicos que compõem a rede municipal de saúde.

Dentre os assuntos elementares debatidos, houve destaque para o ajuste na distribuição dos medicamentos aos munícipes, principalmente os psicotrópicos. Essa distribuição não pode acontecer de forma aleatória e atende prioritariamente às determinações da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (RENAME), que por usa vez é atualizada através da Relação Municipal de Medicamentos Essenciais (REMUME), esta última varia de localidade para localidade, pois depende do perfil dos pacientes de cada município.

Segundo dados oficiais da Secretaria de Saúde de Sapé, atualmente o município possui 52 mil habitantes e atende mensalmente 20 mil pacientes por mês, dos quais 15 mil são de Sapé e os demais de cidades próximas como Sobrado, Mari e Riachão do Poço. A maior dificuldade constatada pelos profissionais da saúde é que diversos pacientes não compreendem a gravidade de ingerir psicotrópicos indiscriminadamente, e acabam exigindo dos médicos a prescrição para que recebam este tipo de medicamento.

Para Zeno Gomes de Sena, psiquiatra que atua em Sapé, a problemática da dependência de diazepínicos é uma realidade que atinge todo o Brasil. “O grande problema não são as medicações prescritas corretamente para tratamentos, mas sim o abuso da população, inclusive misturando estes medicamentos com outros e até mesmo com drogas, como o álcool, o que pode levar o paciente até mesmo a óbito. Necessitamos reduzir o uso dessas medicações da melhor maneira possível”, disse.

A Secretária de Saúde, Maria das Graças Feliciano, entende que é preciso haver alianças entre os poderes públicos e os profissionais da saúde, para que resultados positivos sejam obtidos. “São quase 7 mil pacientes do município que fazem uso dos medicamentos psicotrópicos; necessitamos assim construir alternativas e propostas para capacitar não só a classe médica e demais profissionais da saúde, mas também a população. Iremos em breve iniciar fóruns para educar os sapeenses acerca desta questão”, afirmou.

Assuntos como a reforma do Hospital Sá de Andrade, que se encontra em andamento, a iniciação de procedimentos na área dermatológica, o atendimento ambulatorial e a implantação do sistema de classificação de riscos também foram debatidos. A Promotora Dra. Juliana Couto avaliou que objetivo da reunião fora atendido, pois tratar diretamente com os médicos a respeito das questões levadas pela população à promotoria é o caminho ideal para se chegar à soluções possíveis. A Promotora acredita que as pautas debatidas trarão resultados a médio e longo prazo.

O Prefeito Roberto Feliciano acredita que reuniões como esta, que trazem à tona os problemas essenciais, como os de saúde, são primordiais para conhecer a realidade da população e encontrar maneiras de atuar nessas situações. “Sapé hoje é um município que possui atendimentos médicos praticamente em todos os bairros, através dos PSF. A saúde é questão essencial na nossa gestão e por isso estamos lutando para cada vez mais tornar os atendimentos dignos, além de buscar alternativas que possibilitem uma saúde acessível para todos.”, finalizou.



Com a SECOM/Sapé

Silvano Silva ✔

Obrigado pela visita!

Nenhum comentário:

Comente esta notícia!