ULTIMAS NOTÍCIAS
CPI quer ouvir vítimas e acusados de abuso sexual no futebol brasileiro
sábado, 2 de junho de 2018 Posted by Silvano Silva ✔

A Comissão Parlamentar de Inquérito dos Maus Tratos a crianças e adolescentes, no Senado, vai convocar acusados e convidar vítimas de abuso sexual nas divisões de base do futeboA l brasileiro – os convocados são obrigados a comparecer. No último domingo, reportagem do Esporte Espetacular apontou casos de pedofilia que estão sendo investigados por promotores do Ministério Público de São Paulo e do Pará nos dois estados.
A CPI – instalada em agosto do ano passado em meio à polêmica de uma performance de nudez artística que interagiu com uma criança no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM) – tinha prazo para conclusão em 22 de dezembro, depois 18 de agosto deste ano, mas deve ser prorrogada por mais seis meses.
Ricardo Crivelli, Lica, é acusado de abuso sexual por diversos jovens (Foto: Reprodução)
Na reportagem exibida pelo Esporte Espetacular, um jovem jogador de futebol, que não quis ter seu nome revelado, denunciou à polícia de São Paulo a tentativa de abuso sofrida quando tinha apenas 13 anos. O autor, segundo ele, foi Ricardo Marco Crivelli, conhecido como Lica, então olheiro do Santos. Hoje, Crivelli está afastado do cargo de coordenador das categorias de base do time da Vila. A decisão para denunciar o ato foi tomada pelo jovem, após acompanhar a repercussão midiática do caso de seu colega de quarto, Ruan Petrick.
Petrick perdeu a oportunidade de jogar no Santos pela segunda vez, após denunciar seu algoz, Crivelli.
No depoimento, João, como a reportagem do EE decidiu chamar o atleta, contou que atuava pelo América-MG e havia ido a São Paulo a pedido de seu então empresário, Luciano Pereira Nunes, o Luciano Belém, para assinar alguns documentos. Durante alguns dias, ele ficou hospedado em um alojamento onde estavam outros meninos cujas carreiras eram direcionadas pelo mesmo agente na capital paulista. Foi ali que, segundo João, ocorreu a tentativa de abuso.
Ao ser iniciada a investigação, o presidente do Santos, José Carlos Peres, afastou Lica do cargo. Os dois, porém, mantinham uma relação que ia além do clube. Desde 2005, eram sócios da Saga Talent Sports & Marketing LTDA., empresa focada em agenciamento de jogadores. Mas a sociedade foi desfeita assim que os casos vieram à tona.
OUTROS ACUSADOS DE PEDOFILIA
Durante a apuração do Esporte Espetacular, a reportagem também encontrou denúncia do Ministério Público de São Paulo contra o próprio Luciano Pereira Nunes. Ele foi enquadrado no artigo 218-B do Código Penal, que se refere à favorecimento à prostituição e exploração sexual de vulnerável.
Lica, Luciano Belém, Batata e Bira Ramos são suspeitos de abuso sexual e pedofilia (Foto: Reprodução)
De acordo com o MP, o episódio ocorreu em 2010 e a vítima foi um garoto de 13 anos que buscava uma vaga no São Bernardo, clube de base do ABC Paulista. Ainda de acordo com a denúncia, Luciano exigia que o menino mantivesse relações sexuais com ele como condição para levá-lo ao clube. Luciano nega as acusações e afirma não conhecer a vítima.
– Esse jogador nunca nem esteve comigo. Eu espero que ele prove, comprove, dessa parte eu não estava sabendo – defendeu-se Luciano.
A trama que é apurada por promotores de São Paulo e do Pará aponta para outros personagens. Luciano é amigo de Ronildo Borges de Souza, conhecido como Batata, que também buscava jogadores no Pará e os levava a São Paulo para realizar testes.
Por Leonardo Lourenço e Maurício Oliveira, São Paulo

Silvano Silva ✔

Obrigado pela visita!

Nenhum comentário:

Comente esta notícia!