ULTIMAS NOTÍCIAS
Almeidão troca festa de 39 anos por luto
terça-feira, 11 de março de 2014 Posted by Silvano Silva ✔

Aniversário de 39 anos do Estádio Almeidão é marcado pelo acidente que vitimou um torcedor do Auto Esporte no domingo (9).


Hévilla Wanderley / GloboEsporte.com/pb
Professor morreu na madrugada desta segunda-feira (10) no Hospital de Emergência e Trauma
A partida entre Auto Esporte e Sousa entra para a história do futebol paraibano. Não por valer a liderança do Campeonato Paraibano ou pelo aniversário de 39 anos do Almeidão, comemorado justamente no domingo. E sim pela trágica morte do torcedor Tibério Barreto, que caiu no fosso enquanto comemorava o gol de empate do Auto, marcado já nos acréscimos da partida.
A morte do torcedor, confirmada horas depois no Hospital de Trauma, foi a terceira já registrada no Almeidão.
As informações sobre esta parte negativa da história do Almeidão foram confirmadas pelo atual administrador do estádio, Haroldo Navarro, que desde a década de 1980 já ocupou em várias oportunidades a função.
"Estamos todos muito tristes. Perdemos uma vida humana e isto é ruim independente do incidente ter acontecido no dia do aniversário do Almeidão. Para mim, particularmente, a situação é ainda mais dolorosa porque eu sou torcedor do Auto Esporte", lamentou Haroldo.
Sobre as outras duas mortes registradas no Estádio Almeidão, Haroldo Navarro explica que a primeira aconteceu ainda durante as obras de construção do Almeidão, na década de 70, quando um dos operários não resistiu a um acidente de trabalho.
Já a segunda, registrada no início da década de 1990, aconteceu numa época em que ele também era o gerente do estádio. Segundo ele, um homem embriagado caiu no fosso do estádio quando tentava sair do local, com o jogo já finalizado e quando todos os torcedores já tinham deixado o Almeidão.
Navarro lembra que o corpo só foi encontrado no dia seguinte, quando funcionários do estádio foram limpar o local e encontraram o homem.
Já o secretário estadual de Esportes, Tibério Limeira, disse que haveria uma reunião com os engenheiros da Suplan para definir se algo pode ser mudado em relação ao projeto de reforma - que atualmente não contempla mudanças no fosso, e sim mais alguns centímetros na grade de proteção que separa a arquibancada do gramado.
PARA MP MORTE FOI FATALIDADE
O procurador Valberto Lira, do Ministério Público da Paraíba (MPPB), declarou ontem que a morte do torcedor Tibério Barreto, depois de cair no fosso do Estádio Almeidão, não passou de uma “triste fatalidade” e que ninguém pode ser responsabilizado por isto.
Ele descartou, assim, que não vai pedir nenhuma punição aos responsáveis pelo estádio e pelo Campeonato Paraibano, e descartou ainda solicitar a interdição da praça esportiva.
"Não se pode atribuir a outra coisa se não a uma fatalidade.
Não tem sentido interditar o Almeidão, porque todas as normas e todas as exigências foram respeitadas no jogo. O público era reduzido, apenas um lado foi aberto e a segurança era adequada. O que aconteceu foi um acidente", declarou o procurador.
A Polícia Militar também se posicionou sobre a morte do professor Tibério Barreto. Segundo o capitão Bruno Rodrigues, comandante do policiamento da partida, "se alguém teve culpa nesse acidente, infelizmente foi o próprio torcedor".
Ele tratou o incidente como sendo uma "fatalidade" e usou o termo "tragédia" para resumir o caso, mas ponderou que o torcedor só caiu no fosso porque, na hora do gol de seu time, ele subiu na grade de proteção que separa a arquibancada do fosso.
"Foi uma fatalidade. Excesso de emoções. Quando o Auto Esporte marcou o gol, ele e outros torcedores correram arquibancada abaixo. Foi quando ele subiu na grade. E vieram outros torcedores, que bateram nele. O torcedor acabou desequilibrando e caiu".
FAMÍLIA FALA DE AMOR PELO AUTO
“Um automobilista apaixonado desde criança”. Foi assim que o sobrinho de Tibério Barreto, o estudante Oselmar Neto, definiu o professor que morreu na madrugada desta segunda-feira no Hospital de Emergência e Trauma da Paraíba, após cair no fosso do Almeidão durante jogo de seu time do coração contra o Sousa, pelo Campeonato Paraibano.
A tragédia aconteceu um dia antes de o professor apresentar a defesa de sua dissertação no mestrado de Filosofia, que aconteceria nesta segunda-feira na Universidade Federal da Paraíba.
Tibério, inclusive, é de uma geração que viu o Auto Esporte ser campeão, algo que não acontece há 22 anos. Segundo o sobrinho Oselmar Neto, o amor de Tibério pelo Auto é de família, já que o pai do professor também era torcedor automobilista e passou o seu amor pelo Alvirrubro para o filho.
"Meu avô era automobilista e passou essa paixão para ele. Ele sempre foi apaixonado. Estamos tristes, mas ao mesmo tempo conformados, pois sabemos que ele morreu feliz, comemorando o gol do Auto", disse Oselmar.
Oselmar Neto contou também que o domingo foi de festa para Tibério Barreto, pois ele conseguiu juntar o grupo de amigos que ia com ele para o Almeidão na época do título de 1992. Ele afirmou que foi um dos dias mais felizes para o tio.
"Todo mundo se juntou na casa dele já pela manhã. Ele estava tão feliz. Saímos em três carros para o Almeidão e no dele foram só os amigos que acompanharam o título junto com ele.
O filho dele também estava no estádio e torce para o Auto Esporte", concluiu Oselmar Neto. 

Por Larissa Keren, do GloboEsporte.com)

Silvano Silva ✔

Obrigado pela visita!

Nenhum comentário:

Comente esta notícia!