ULTIMAS NOTÍCIAS
IV Balaio Circense Festival de Comicidade:Confira Programação
quinta-feira, 5 de novembro de 2015 Posted by Silvano Silva ✔



 Projeto que já faz parte do calendário cultural da capital paraibana, o Balaio Circense chega à sua 4ª edição com o tema Festival de Comicidade, valorizando a presença feminina no circo. O evento cresceu e além de João Pessoa, este ano espalha o riso pelos municípios de Cabedelo, Alagoa Grande, Areia e Campina Grande. Desta vez, a homenageada é uma mulher: a atriz Madalena Accioly. A maratona de espetáculos acontece de 5 a 14 de novembro de 2015.

 O IV Balaio Circense – Festival de Comicidade tem patrocínio do Fundo Municipal de Cultura e uma das características do projeto é levar ao público programação descentralizada e 100% gratuita. A edição deste ano propõe dar continuidade ao trabalho de valorização da arte circense cuja semente foi plantada nas edições anteriores do evento realizadas nos anos de 2009 (Formação), 2012 (Festival Internacional de Circo) e 2013 (Festival de Palhaços), contemplando no total, um público de mais de 17 mil pessoas. Ao longo destes anos, o evento se consolidou como o maior festival de circo no Estado da Paraíba.
 Em dez dias de evento, serão realizadas 20 apresentações, incluindo uma Palhaceata e o Cine-Circo, com atrações que são referência nacional na arte circense. No módulo de formação e intercâmbio, haverá mesa redonda e três oficinas. A programação está espalhada por diversos pontos da cidade, ocupando salas, praça, rua e teatro.
 O IV Balaio Circense – Festival de Comicidade tem patrocínio do Fundo Municipal de Cultura (FMC – Prefeitura de João Pessoa) e uma das características do projeto é levar ao público programação descentralizada e 100% gratuita.
 A edição deste ano tem como parceiros Funesc, Sesc, Grupo Trampulim, Tintin Cineclube, Piollin, Emotion, além de apoio do Sebrae, prefeituras de Alagoa Grande, Campina Grande e Cabedelo, Teatro Minerva, Armazém Paraíba e Restaurante da Matuta. O projeto é uma realização daArlequin Produções e da Trupe Arlequin de Teatro e Circo.
 Como tudo começou
A primeira edição foi lançada em João Pessoa na Paraíba, entre os dias 14 a 30 de setembro de 2009. Naquele momento, o projeto visava a formação e o intercâmbio entre artistas, pesquisadores e o público em geral em torno da arte circense. O evento, enquanto projeto piloto, repercutiu positivamente junto à mídia, ao público e à classe artística. Foram 16 dias de evento reunindo convidados de referência nacional como o Teatro de Anônimo e a Escola Nacional de Circo (ambos da cidade do Rio de Janeiro). O público atendido incluiu jovens e adultos, artistas e iniciantes na Arte Circense. Foram realizadas três oficinas, uma mesa e um fórum.
Com a ideia já amadurecida, partimos para o II Balaio Circense, que foi realizado no ano de 2012. Pela primeira vez, o público pessoense ouviu falar em ‘Palhaceata’ - uma passeata de palhaços pelas ruas do centro da capital. O festival ocupou cinco diferentes pontos da cidade, descentralizando toda sua programação. Da Zona Sul ao Centro da cidade, a capital paraibana se transformou em um grande picadeiro e recebeu mais de 50 artistas de circo da Paraíba e de diferentes estados brasileiros e países.
Em 2013, repetimos a dose com o III Balaio Circense - Festival de Palhaços, conseguindo levar um público de mais de 6 mil pessoas na Praça da Paz em cinco dias de atividades intensas. Atrações nacionais e internacionais passaram pelo nosso picadeiro, além de grupos paraibanos e atividades de formação e intercâmbio.  Ao todo, foram duas oficinas, uma demonstração técnica, uma mesa, uma roda de diálogos, uma sessão de cine-circo e dez apresentações, incluindo um tributo ao Palhaço Pirulito, uma atrapalhada aula de aeróbica batizada de ‘Malha Clown’ e o resultado das oficinas de circo.
 Formação

OFICINA :ESCOLA DE MULHERES PALHAÇOS
oFICIa HORA: 9h/12h
DATA: 11, 12 e 13/11
MINISTRANTE: Andréa Macera (SP)
LOCAL: Sala 2 – FUNESC
 Destinada exclusivamente a mulheres iniciantes e iniciadas na arte da palhaçaria. A oficina trabalhará a comicidade e a lógica de cada palhaça a partir da construção de números individuais.  Os encontros consistem em um treinamento técnico, uma pesquisa do material cênico e um recorte dos “temas” de cada palhaça. A participante terá a possibilidade de se aprofundar na linguagem do palhaço, a partir da tradição cômica e da criação de novas gags.
Duração: 9 horas
Vagas:  20 vagas

 OFICINA: O JOGO DO PALHAÇO

HORA: 9h/12h
DATA: 11, 12 e 13/11
MINISTRANTE: Adriana Morales (BH)
LOCAL: Sala 3 – FUNESC

A oficina propõe uma iniciação ao universo da palhaçaria, desconstruindo preconceitos sobre a lógica do Palhaço e munindo o ator de caminhos para simplesmente SER. O trabalho parte da crença de que ser palhaço exige um estado diferenciado e uma consciência própria. A diversidade de possibilidades sobre esta figura milenar pode levar a uma infinidade de caminhos. Os caminhos apontados nesta oficina são fruto de um estudo pautado em práticas, treinamentos, pesquisas e reflexões. Público alvo: Estudantes de artes, artistas e interessados na arte da Palhaçaria acima de 16 anos.
Duração: 9 horas
Vagas: 20 vagas

OFINA:PALHAÇO E COMUNIDADE(DA CONSTRUÇÃO Á CENA)
HORA: 9h/12h
DATA: 11, 12 e 13/11
MINISTRANTE: Ulisses Nogueira (MS)
LOCAL: Sala 5 – FUNESC

A presente oficina convida o aluno a uma vivência prática e teórica de um processo investigativo de descoberta do palhaço que habita em cada um de nós seres humanos, sendo esta comicidade consciente ou inconsciente por nossos corpos e saberes.  A oficina percorrerá quatro linhas direcionais: Comicidade e palhaço, processos de formação, trajetória pessoal do investigador e processos criativos de cenas. O processo criativo desse trabalho se baseará na ideia de fazer o aprendiz encontrar o seu próprio lado cômico, como se fosse uma dilatação dele mesmo. Seria um olhar para si próprio e entrar em contato com questões que nos faz sentirmos ridículos diante a sociedade ou até mesmo diante do espelho. Público alvo: Atores, bailarinos, músicos, palhaços, circenses, professores e pesquisadores da arte do riso acima de 16 anos.  
Duração: 9 horas
Vagas: 20 vagas
 MESA REDONDA
O LUGAR DA MULHER PALHAÇA NO CIRCO CONTEMPORÂNEO
Data: 10/11
Hora: 19h
Local: Auditório 1 - FUNESC
 DEBATEDORAS:
Adriana Morales (BH)
Andrea Macera (SP)
Madalena Accioly (PB)
MEDIADOR: Ulisses Nogueira (MS)
 A mesa traz uma reflexão sobre a busca da mulher palhaça pela ocupação de um espaço que foi (ou ainda é) predominantemente ocupado pelos homens palhaços.


ESPETÁCULOS
ESPATÁCULOS: ACRDA(MS)
Data: 05/11
Hora: 15h30
Local: Teatro Santa Catarina (Cabedelo)

Data: 06/11
Hora: 19h30
Local: Teatro Santa Ignez (Alagoa Grande)

Data: 07/11
Hora: 19h
Local: Teatro Minerva (Areia)

Data: 08/11
Hora: 19h30
Local: Teatro Paulo Pontes (João Pessoa)

Data: 09/11
Hora: 14h
Local: Teatro Municipal Severino Cabral (Campina Grande)

Grupo: Trampulim (MG)
Direção: Paula Manata
Elenco: Adriana Morales, Tiago Mafra, Poliana Tuchia e Maria Milagros Vazquez

Acorda nasce da celebração dos 21 anos de trajetória do Grupo Trampulim. A décima quinta montagem do Grupo desafia os palhaços a encararem os seus sonhos e pesadelos. Apesar de se tratar de um tema profundo e, por vezes obscuro, não significa nessas condições, um olhar pessimista sobre a nossa realidade, mas uma incitação por mudanças.
Um espetáculo para todas as idades, que se propõe a instigar o riso e o pensamento!


ESPETÁCULO:MEU CHAPÉU É O CÉU(DF)
Data: 10/11
Hora: 16h
Local: Centro Cultural Piollin (João Pessoa) 

Data: 11/11
Hora: 20h
Local: Praça da Paz (João Pessoa)

Data: 12/11
Hora: 17h e 20h
Local: Praça da Paz (João Pessoa)

Grupo: Cia. Instrumento de Ver (DF)
Direção: Leo Sykes    
Elenco: Beatrice Martins, Julia Henning e Maíra Moraes

Três lavadeiras desajeitadas se entregam às brincadeiras de lavar, vestir e passar as roupas que compõem o cenário do espetáculo de acrobacias aéreas ao ar livre "Meu Chapéu é o Céu". O espetáculo leva para as ruas uma narrativa alegre e feminina, com uma mistura de linguagens que permeia o universo das acrobacias, do clown e do circo-teatro. Em meio às mágicas e bagunças, as lavadeiras interagem entre si resolvendo e promovendo os conflitos, criando um universo encantado. Com roteiro e direção de Leo Sykes, diretora do renomado grupo de circo-teatro Udi Grudi, “Meu Chapéu é o Céu” é um espetáculo para todas as idades.

ESPETÁCULOS:ACORDA,AURORA!(PB)
Data: 11/11
Hora: 19h
Local: Praça da Paz (João Pessoa)

Grupo: Cia. Rataplan (PB)
Direção: Isaú Firmino    
Elenco: Isaú Firmino e Netto Ribeiro     

A princesa Aurora, atingida por uma praga da bruxa, entra em coma profundo, e só pode ser salva com um beijo de um intrépido príncipe. Na estória original, ela é condenada a dormir durante 100 anos, mas uma fada madrinha colaborando até onde pode, faz também com que todo o reino adormeça junto. Em Acorda, Aurora! não é bem assim que as coisas acontecem. Quando dois artistas circenses resolvem recontar a fábula de A Bela Adormecida, acabam criando uma nova versão para uma velha estória de amor! Trata-se de uma paródia ao clássico infantil, empregada a linguagem do circo teatro, descobrindo momentos cruciais da estória que são trabalhados de maneira relaxada e engraçada. As piadas utilizadas são velhas como o próprio conto, mas ganham uma roupagem atual.

ESPETÁCULO: OS NADA (DORES)(MS)
Data: 12/11
Hora: 19h
Local: Praça da Paz (João Pessoa)
Grupo: Cia. CEP Circo (MS)
Direção: Ulisses Nogueira    
Elenco: Ulisses Nogueira e Ana Claudia Dias     
 A peça é contada por dois palhaços, o aprendiz espanhol atrapalhado Tuba e a treinadora severa francesa Tulipa. Tuba tem como principal objetivo ser igual a sua treinadora: ser forte, ágil e inteligente. No entanto, quase nunca ele consegue satisfazê-la. Tulipa, ao longo da história, tenta lapidar seu pupilo com várias atividades e funções em vão. Nesse emaranhado de situações trágicas e cômicas, os nada-dores acabam se entregando a diversos sentimentos; um deles o amor.

 ESPETÁCULO: CLOWNSSICOS-UMA NOVA VELHA HISTÓRIA DE AMOR(PB)
Data: 13/11
Hora: 19h
Local: Teatro Paulo Pontes (João Pessoa)
 Data: 14/11
Hora: 19h
Local: Praça da Paz (João Pessoa)
 Grupo: Cia. Dos Clownssicos (PB)
Direção: Diocélio Barbosa    
Elenco: Daniel Nóbrega e Irla Medeiros
Clownssicos é um espetáculo envolvente, poético, pantomímico, e de muito humor. Dois palhaços, Cacatua e Suvelão, se encontram bobos e apaixonados um pelo outro, e no desenrolar das cenas - permeadas por encontros e desencontros - os enamorados manipulam uma escada, que também se torna um protagonista da história, e serve de base para a construção do imaginário cênico. É a partir de histórias clássicas do imaginário popular contadas através da lógica do palhaço que surge uma nova velha história de amor entre os dois.  

RESULTADOS DAS OFICINAS DO IV BALAIO CIRCENSE
Data: 13/11
Hora: 20h20
Local: Mezanino do Teatro Paulo Pontes / FUNESC (João Pessoa)

ESPETÁCULO:SOBRE TOMATES,TAMANCOS E TESOURAS(SP)
Data: 13/11
Hora: 21h
Local: Teatro Paulo Pontes (João Pessoa)
 Grupo: Teatro da Mafalda (SP)
Direção: Rhena de Faria    
Elenco: Andréa Macera
 Conta a história de Mafalda Mafalda, uma artista de cabaré banida pelo seu público após uma apresentação mal sucedida com uma tal “plateia do lado de lá”. O espectador, considerado “o público do lado de cá”, por meio de flashbacks reais e também pelo depoimento da protagonista, tem acesso a uma realidade deturpada dos fatos, porém, logo acaba por saber que algo mais grave se passou na fatídica apresentação.
 PALHACETA
Data: 14/11
Hora (Concentração): 15h
Local: Praça das Muriçocas
Destino: Fundação Espaço Cultural - FUNESC
 ESPETÁCULO:O PALHAÇO E A BAILARINA (PB)
Data: 14/11
Hora: 17h
Local: Teatro Paulo Pontes (João Pessoa)
 Grupo: Trupe Arlequin (PB)
Direção: Joevan Oliveira    
Elenco: Claudia Cavalcante e Filipi Maciel     

Um dos clássicos do duo circense, o Palhaço e a Bailarina são as personagens principais da nova montagem da Trupe Arlequin de Circo Teatro, grupo que desde 2008 desenvolve atividades artísticas voltadas para o circo e o teatro em sua sede na Casarlequin. O diretor convidado Joevan Oliveira adentra o universo lúdico do circo a partir desses dois personagens genuinamente circenses, espinha dorsal que direciona as ações educativas e culturais da trupe. Para isso, resgata referências clássicas do universo clownesco, feitas de silêncio e extrema solidão. Por isso o espetáculo será encenado como um quadro de circo com música, mimese, dança, números circenses de solo e aéreo, interação com a plateia e o silêncio, justificando assim a escolha estética. ‘O Palhaço e a Bailarina’ é inspirado no universo do circo, esse lugar de encanto, magia, diversão e grande aprendizado.
 ESPETÁCULO:RISO MÁGICO (PB)
Data: 14/11
Hora: 20h30
Local: Praça da Paz (João Pessoa)
 Grupo: Olha Eu Aqui (PB)
Direção: Smith Masak
Elenco: Smith Masak 
 Show Riso Mágico, mágica feita para divertir. É um show de humor com mágicas interativas, proporciona situações engraçadas e improvisadas das mais diversas formas. Com muita música, efeitos e participação do público tanto no palco quanto na plateia. Um Show ideal para toda a família.
   ESPETÁCULO: FLOR DO LIXO(PE)
Data: 14/11
Hora: 21h
Local: Praça da Paz (João Pessoa)
 Grupo: Caravana Tapioca (PE)
Direção: Anderson Machado
Elenco: Anderson Machado e Giulia Cooper     
 Em um beco supostamente comum, dois artistas de rua começam seu show. Mas a apresentação é interrompida devido a um curto-circuito que estraga os equipamentos da dupla. O espetáculo, que parecia estar perdido, ganha uma nova dimensão quando seres mágicos surgem no local, indicando novas possibilidades de reconstruírem o show utilizando os lixos da rua. Mágica, malabarismo, riso e poesia contam essa história sem palavras. 
CINE CIRCO BALAIO CIRCENSE
Curadoria: Tintin Cineclube
Exibição: SESC/JP
 Sessão 1:
Data: 11/11
Hora: 18h
Local de Exibição: Praça da Paz (João Pessoa)
  Nina, de Rodrigo Zerbetto [fic, 15', 2013, SP]
Um clown é, em sua essência, um artista, no entanto, a vida o distanciou de si, fazendo com que nada mais tenha sentido. É neste contexto que suas angústias criam vida e transformam a jornada do personagem, na qual desfilam e interagem seus pensamentos, personificados em uma bailarina de circo e em outro clown. Ele literalmente vive o momento da decisão que toma dentro de si.
 Família Vidal, de Diego Benevides [doc, 15', 2010, PB]
O retrato de uma família circense a partir de suas experiências vividas em seu mundo. De cidade em cidade, de um bairro a outro, a Família Vidal é uma esquecida, porém uma legítima prova de amor e doação ao circo brasileiro.
 Noite dos Palhaços Mudos, de Juliano Lucas [fic, 15’, 2012, SP]
Adaptação para as telas de uma história do quadrinista Laerte. Dois palhaços mudos perambulam à noite com a missão de resgatar um companheiro que fora sequestrado por uma organização que tem como objetivo o extermínio da classe.
 Madalena Accioly com “Y”. O Palhaço Picolé, de Bruno Vinelli [Doc., 15’, 2015, PB]
Documentário sobre a vida da Artista Madalena Accioly, homenageada do IV Balaio Circense. Produzido especialmente para a ocasião, traz depoimentos de amigos artistas e da homenageada.
  Sessão 2:
Data: 12/11
Hora: 18h
Local de Exibição: Praça da Paz (João Pessoa)
 Marvin, o Palhaço, de Bora Ozan [fic, 8’, 2011, EUA]
Uma fábula que acompanha a trajetória de Marvin, um garoto em busca de um ofício, um amor e um sentido para a vida.
 Hoje Tem Alegria, de Fábio Meira [doc, 26’, 2010, SP]
O filho de um alfaiate fugiu para ser malabarista. Um mágico aposentado vê sua trupe ruir. Uma ex-trapezista será avó pela primeira vez. Fogo, facas, silêncio, aplausos. No circo, eles viram o mundo.
 Circo para Um, de Veronica Terreblanche [ani, 7', 2013, ZAF]
O holofote está em você.
 Madalena Accioly com “Y”. O Palhaço Picolé, de Bruno Vinelli [Doc., 15’, 2015, PB]
Documentário sobre a vida da Artista Madalena Accioly, homenageada do IV Balaio Circense. Produzido especialmente para a ocasião, traz depoimentos de amigos artistas e da homenageada.


Com Assessoria






Silvano Silva ✔

Obrigado pela visita!

1 comentários:

  1. Well I can read Portuguese but cant write it or speak it too well but I love this forum and have decided to add to it. Indonesia and Brazil are very similar in many respects and over the years I have befriended my Brazilians who enjoy the beach and visit a particular Island in Indonesia. Should you happen to cross the Pacific and try your luck atbali surfing then call us. The instructors are great at teaching beginners or if you have experience they can take you to the best locations.

    ResponderExcluir